PROCLAMAÇÃO REAL N.º 1/2010

Assunto: Reconhecimento do Tibete como Estado Independente

Sua Majestade, o Príncipe da Pontinha, D. Renato proclama:

  1. O Principado da Pontinha é um Estado independente, ainda que esteja num processo de obtenção do respectivo reconhecimento por parte da Comunidade Internacional.
  2. Por uma questão de deferência histórica, Sua Majestade o Príncipe solicitou tal reconhecimento ao “País-Irmão” Portugal.
  3. Na ausência de resposta em tempo considerado oportuno, outras diligências visando o efeito pretendido se seguirão.
  4. Uma vez reconhecido o Principado da Pontinha como Estado soberano e independente, a primeira acção de política externa será o reconhecimento do Estado do Tibete.
  5. Apela Sua Majestade o Príncipe a todos os membros da sociedade civil de cada País que se diga democrático e defensor dos direitos humanos para que pressionem as respectivas autoridades nacionais no sentido de procederem ao reconhecimento do Principado da Pontinha como Estado soberano e independente.
  6. O mesmo apelo é dirigido a todas as associações que defendam os direitos humanos.
  7. Sua Majestade o Príncipe, numa nota pessoal dirigida ao Povo-Irmão de Timor Lorossae, recorda que esteve presente na Praça do Município da cidade vizinha do Funchal na grande vigília pelo Povo de Timor Leste. Sabendo do sofrimento desse mesmo Povo (e das vidas perdidas) em prol da auto-determinação e da independência, apela à solidariedade do Povo de Timor na causa do Principado da Pontinha e do torturado Povo do Tibete.
  8. Mais convida o Príncipe a que Timor Lorossae, mediante Tratado de Amizade e de Cooperação com o Principado da Pontinha, a criar o embrião de uma verdadeira federação de Estados Soberanos Portugueses, que dignifiquem (moral, social e patrimonialmente) os respectivos Povos, quanto mais não seja como exemplo inédito de conduta a propor à “casta política dirigente” internacional.